post-title Surto de Caxumba no estado de São Paulo http://i1.wp.com/www.drdiegobiella.com.br/wp-content/uploads/2016/06/caxumba.png?fit=1200%2C600 2016-06-23 13:11:34 yes no Postado por

Surto de Caxumba no estado de São Paulo

A caxumba, também chamada de papeira ou parotidite, tem um período de incubação de duas ou três semanas. Seus primeiros sintomas são febre, calafrios, dores de cabeça, musculares e ao mastigar ou engolir, além de fraqueza. Uma das principais características da doença é o aumento das glândulas salivares próximas aos ouvidos, que fazem o rosto […]

Postado por

A caxumba, também chamada de papeira ou parotidite, tem um período de incubação de duas ou três semanas. Seus primeiros sintomas são febre, calafrios, dores de cabeça, musculares e ao mastigar ou engolir, além de fraqueza. Uma das principais características da doença é o aumento das glândulas salivares próximas aos ouvidos, que fazem o rosto inchar. Nos casos graves, a caxumba pode causar surdez, meningite e pancreatite. Em homens, pode vir com orquite, que causa aumento da bolsa escrotal e dor na região.

 

caxumba

O número de casos de caxumba registrados neste ano no Estado de São Paulo já é o maior desde 2008, segundo balanço do CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica) da Secretaria Estadual da Saúde. Até o dia 16 de junho, quando foi divulgado o último levantamento, foram contabilizados 842 casos. Entre 2009 e 2015, o número variou, no ano inteiro, entre 118 (2014) e 671 (em 2015). Em todo 2008, foram 3.394 registros.

A imunização incompleta de parte da população, que não tomou as duas doses da vacina, e o fato de o vírus estar mais atuante estão entre as razões apresentadas por infectologistas para o aumento dos surtos.

Não há uma explicação certeira para isso, mas o que se sabe é que há um vírus altamente infectante e ele está circulando mais. Além disso, uma faixa de pessoas que não foram vacinadas adequadamente para a caxumba (porque é preciso ter duas doses, e antes do ano 2000 a padronização do esquema vacinal era diferente) tudo isso contribuiu para o aumento dos casos.

Importante salientar, que mesmo antes da manifestação de sintomas , inflamação das glândulas salivares, dor de cabeça e febre a pessoa já pode transmitir a caxumba. O prazo de incubação é de 16 a 18 dias, mas pode se manifestar em até 25 dias e a pessoa já começa a expelir o vírus.

Cuidados

Repouso e isolamento são as principais orientações para os pacientes, já que não há um medicamento específico para a doença. Não tem nenhum antiviral para caxumba. A recomendação é fazer repouso, tomar analgésico e anti-inflamatório. É importante evitar aglomerações e lavar as mãos.

caxumba 2

Deixo as formalidades de lado e me apresento em algumas palavras:

Sou Diego Biella, ainda criança depois de sonhar em ser jogador de futebol, aliás como todo menino, resolvi que seria médico. Me formei na Universidade de Alfenas e logo me encantei pelos choros, risos e pela dificuldade de uma consulta pediátrica. Quando a criança está doente mas não sabe falar o que sente, a febre aparece sem nenhum outro sintoma e após um tratamento bem sucedido o sorriso sincero e inocente, pra mim é a melhor das recompensas.

Cometários