post-title Lábio leporino e/ou Fenda palatina http://i2.wp.com/www.drdiegobiella.com.br/wp-content/uploads/2016/08/labio-leporino.jpg?fit=480%2C320 2016-08-08 13:48:06 yes no Postado por

Lábio leporino e/ou Fenda palatina

De todos os defeitos congênitos, o lábio leporino (aberto, partido) e/ou fenda palatina é um dos mais comuns. Atualmente são anomalias que afetam um em cada 700 nascimentos, e são mais comuns entre os asiáticos e determinados grupos de índios americanos. O lábio leporino ocorre com menos frequência entre os afro-americanos. Quanto à frequência dessas […]

Postado por

De todos os defeitos congênitos, o lábio leporino (aberto, partido) e/ou fenda palatina é um dos mais comuns. Atualmente são anomalias que afetam um em cada 700 nascimentos, e são mais comuns entre os asiáticos e determinados grupos de índios americanos. O lábio leporino ocorre com menos frequência entre os afro-americanos.

Quanto à frequência dessas anomalias, alguns estudos demonstram que 25% dos bebês sofrem de fenda palatina, 25% de lábio leporino, e 50% de ambos. Tanto o lábio leporino como fenda palatina, podem desenvolver-se separadamente ou ao mesmo tempo. Essas anomalias se apresentam como um defeito congênito das estruturas que formam a boca. Ocorre quando o bebê, ao nascer, apresenta uma fenda ou separação no lábio e/ou no palato, devido que os dois lados superiores não cresceram como deveriam.

Lábio Leporino em bebês e crianças

Trata-se de uma divisão no lábio superior, entre a boca e o nariz, que ocorre porque as duas partes do rosto do bebê não se uniram adequadamente durante a gestação. Os tipos de lábio leporino variam desde uma pequena fenda no lábio superior à total separação nos dois lados do lábio, atingindo até o nariz. O grau do lábio leporino pode variar enormemente, desde leve (encaixe do lábio), até severo (grande abertura desde o lábio até o nariz). Essa anomalia recebe nomes diferentes segundo sua localização. Uma fenda num lado do lábio, que NÃO se estende até o nariz, denomina-se unilateral incompleta. Uma fenda em um lado do lábio que se estende até o nariz, denomina-se unilateral completa. Uma fenda que compromete ambos os lados do lábio e que se estende e compromete ambos os lados do lábio e que se estende e compromete o nariz, denomina-se bilateral completa.

Fenda palatina em bebês e crianças

Ela ocorre quando o palato (o céu da boca) não se fecha completamente. Assim como o lábio leporino, apresenta graus bem variados de intensidade, que vão de uma pequena abertura no chamado palato mole à quase separação completa do céu da boca.

Quando esse defeito congênito se apresenta com uma fenda ou abertura só no palato superior, denomina-se fenda palatina. Nesse caso, o palato não se fecha completamente, mas deixa uma abertura que se estende até a cavidade nasal. A fenda pode afetar qualquer lado do palato. Pode estender-se desde a parte anterior da boca (palado duro) até a garganta (palato mole). A fenda palatina não é tão perceptível como o lábio leporino porque está dentro da boca. Em muitos casos, outros membros da família podem ter tido também a fenda palatina ao nascer.

Por que ocorre o Lábio Leporino ou Fenda Palatina

A medicina não encontrou uma causa exata que explique o porque desses defeitos nos bebês. Alguns estudos chegaram a demonstrar que esse defeito se dá sobretudo em famílias com um histórico dessa anormalidade em um pai, em outra criança ou num parente próximo. Mas também ficou demonstrado que pode ocorrer em famílias sem os antecedentes já mencionados. Se pais que não nasceram com uma fenda, tiverem um bebê com essa anomalia, as probabilidades de que tenham outro bebê igual, oscilam entre 2 e 8 por cento. Se um dos pais tem uma fenda, mas nenhum dos seus filhos têm essa anomalia, as probabilidades de ter um bebê com esse defeito são de 4 a 6 por cento. Se um dos pais e um filho apresentam uma fenda, as probabilidades de que outro filho nasça com essa anomalia são ainda maiores. Recomenda-se, nesses casos, consultar um especialista em genética.
Também acreditam que alguns fatores ambientais, como remédiox, drogas, produtos químicos, fungos, inclusive deficiências de vitaminas (como o ácido fólico), que reagem com certos gens específicos e acabam interferindo no processo normal do fechamento do palato e no desenvolvimento do lábio.

A boca do feto se forma durante os primeiros três meses da gestação. Durante esse tempo, as partes do palato superior e o lábio superior normalmente se unem Quando essa junção não ocorre, o bebê terá um lábio leporino e/ou fenda palatina. Uma criança pode ter lábio leporino, fenda palatina, ou ambos. O lábio leporino e a fenda palatina juntos são mais comuns em meninos que em meninas.

É importante saber que a maioria dos bebês que nascem com essa fenda, são sadios e não tem nenhuma outra anomalia congênita.

Os resultados estéticos da cirurgia de correção da fenda labiopalatina estão cada vez melhores. Caso a fenda ainda fique muito marcada, há a possibilidade de fazer novas operações, ainda durante a infância, para melhorar o aspecto estético.

O ideal é que seu filho seja acompanhado também por ortodontistas, principalmente no caso de fenda palatina, para monitorar o crescimento do maxilar e dos dentes e o funcionamento da boca em geral. Em algumas crianças, a voz pode ficar anasalada, por isso pode ser aconselhável consultar um fonoaudiólogo.

No caso da fissura palatina, o bebê pode sofrer de otites (infecções no ouvido) com mais frequência, por causa da entrada de líquido no canal do ouvido.

 

Fonte: br.guiainfantil.com

Deixo as formalidades de lado e me apresento em algumas palavras:

Sou Diego Biella, ainda criança depois de sonhar em ser jogador de futebol, aliás como todo menino, resolvi que seria médico. Me formei na Universidade de Alfenas e logo me encantei pelos choros, risos e pela dificuldade de uma consulta pediátrica. Quando a criança está doente mas não sabe falar o que sente, a febre aparece sem nenhum outro sintoma e após um tratamento bem sucedido o sorriso sincero e inocente, pra mim é a melhor das recompensas.

Cometários