post-title A gripe em bebês e crianças http://i1.wp.com/www.drdiegobiella.com.br/wp-content/uploads/2017/05/otra-vez-mi-hijo-tiene-gripe_3494.jpg?fit=462%2C233 2017-05-02 12:50:31 yes no Postado por

A gripe em bebês e crianças

A gripe é uma infecção respiratória altamente contagiosa, que apresenta os seguintes sintomas: febre elevada, cefaléias, vômitos, tosse seca, e em alguns casos, rinite, conjuntivite, e faringite. Este estado pode tardar de 2 a 4 dias. A gripe aparece em casos isolados que podem chegar a epidemias principalmente em épocas de inverno. O período de […]

Postado por

A gripe é uma infecção respiratória altamente contagiosa, que apresenta os seguintes sintomas: febre elevada, cefaléias, vômitos, tosse seca, e em alguns casos, rinite, conjuntivite, e faringite. Este estado pode tardar de 2 a 4 dias.

A gripe aparece em casos isolados que podem chegar a epidemias principalmente em épocas de inverno. O período de incubação é de 1 a 3 dias. Em crianças pequenas é frequente encontrar complicações como a otite média aguda, e a bronquite.

Como é o contágio da gripe em crianças

Bebes com gripe, crianças gripadas

Contágio da gripe em crianças e bebês

É uma enfermidade viral produzida pelo vírus Influenza. Periodicamente aparecem novos tipos de vírus, por isso é difícil sua prevenção. Afeta gravemente a anciãos, crianças, ou pessoas que sofrem de asma, cardiopatias, desnutrição, transtornos da imunidade, diabetes, etc. Pessoas com esse quadro clínico devem visitar ao médico antes do inverno para que llhe apliquem, a vacina antigripal.

No Brasil, do mês de abril ao mês de maio são aplicadas gratuitamente vacinas nos postos de saúde de todo o país.

Tratamento da gripe em crianças e bebês

Para a febre, não é necessário o uso de antibióticos. Os antitérmicos são suficientes. Os antibióticos só serão receitados pelo médico no caso em que a febre se prolongue por mais de 3 dias. O tratamento da gripe consiste no adequado manejo dos sintomas com o uso de nebulizadores para a desobstrução das vias respiratórias altas (quando o médico achar  necessário), o repouso do paciente, e a contínua ingestão de líquidos.

Fonte: https://br.guiainfantil.com

Deixo as formalidades de lado e me apresento em algumas palavras:

Sou Diego Biella, ainda criança depois de sonhar em ser jogador de futebol, aliás como todo menino, resolvi que seria médico. Me formei na Universidade de Alfenas e logo me encantei pelos choros, risos e pela dificuldade de uma consulta pediátrica. Quando a criança está doente mas não sabe falar o que sente, a febre aparece sem nenhum outro sintoma e após um tratamento bem sucedido o sorriso sincero e inocente, pra mim é a melhor das recompensas.

Cometários