post-title Câncer infantil http://i1.wp.com/www.drdiegobiella.com.br/wp-content/uploads/2017/07/portaldoholanda-763008-imagem-foto-amazonas.jpg?fit=680%2C544 2017-07-17 13:20:07 yes no Postado por

Câncer infantil

Muitas vezes, sintomas são confundidos com doenças comuns da infância e doença é diagnosticada apenas em estágio avançado O câncer é causa de morte mais frequente por doença entre crianças e adolescentes, de 1 a 19 anos, no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). E, até o final de 2017, estima-se que […]

Postado por

Muitas vezes, sintomas são confundidos com doenças comuns da infância e doença é diagnosticada apenas em estágio avançado

O câncer é causa de morte mais frequente por doença entre crianças e adolescentes, de 1 a 19 anos, no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). E, até o final de 2017, estima-se que surjam 12.600 novos casos, destes, quase metade no Sudeste (6.050).

 

Frequentemente, a doença já é diagnosticada em estágios avançados. “Isso ocorre porque vários sintomas se assemelham a características de doenças comuns na infância. Por isso, os pais devem prestar atenção aos sinais que os filhos passam e são de extrema importância os conhecimentos do pediatra acerca dos diferentes tumores”, conta Marcus Castilho, radio-oncologista do Radiocare, especializado em câncer pediátrico.

 

Os tipos de tumores mais comuns em crianças são as leucemias, os do sistema nervoso central e linfomas. Castilho explica que é muito importante prestar atenção a qualquer anormalidade e buscar pelo diagnóstico precoce. “Temos conseguido um progresso significativo no tratamento do câncer na infância e, hoje, cerca de 70 por cento dos casos podem ser curados quando diagnosticados previamente e tratados em centros avançados de combate ao câncer”.

 

Outros cânceres que também acometem as crianças são: retinoblastoma (afeta a retina), neuroblastoma (região abdominal), tumor de Wilms (tumor renal), tumor germinativo (das células que vão originar testículos ou ovários), osteossarcoma (tumor ósseo) e sarcomas (tumores de partes moles).

Para os pais ficarem atentos, Castilho cita algumas características dos cânceres na infância:

 

  • Nas leucemias, os pequenos ficam mais sujeitos a infecções, palidez, sangramento e dores ósseas, devido à invasão na medula óssea por células anormais;
  • A retinoblastoma costuma acometer crianças com até 3 anos de idade e, algumas de suas características são pupilas esbranquiçadas quando expostas à luz e, em alguns casos, super sensibilidade à luz e estrabismo;
  • Tumor de sistema nervoso central tem como características dores de cabeça, vômitos, alterações motoras e de comportamento e paralisia de nervos;

 

  • Surgimento de massa ou aumento do abdômen podem ser sinais do tumor de Wilms (afeta os rins) ou neuroblastoma;
  • Por fim, tumores sólidos podem formar massa, visível ou não, e causar dores nos membros. Essa dor é também um dos principais sintomas do osteossarcoma (tumor no osso em crescimento), mais frequente em adolescentes.

O tratamento é individualizado e pensado em cada tumor específico e pode ser feito por meio de quimioterapia, radioterapia e cirurgia. “Para o tratamento ser efetivo, é preciso analisar o tipo do câncer, tamanho e localização do tumor e as condições do paciente. Sendo assim, é possível determinar o procedimento mais recomendado para se alcançar a cura”, ressalta Castilho.

Fonte: guiadobebe.uol.com.br

Deixo as formalidades de lado e me apresento em algumas palavras:

Sou Diego Biella, ainda criança depois de sonhar em ser jogador de futebol, aliás como todo menino, resolvi que seria médico. Me formei na Universidade de Alfenas e logo me encantei pelos choros, risos e pela dificuldade de uma consulta pediátrica. Quando a criança está doente mas não sabe falar o que sente, a febre aparece sem nenhum outro sintoma e após um tratamento bem sucedido o sorriso sincero e inocente, pra mim é a melhor das recompensas.

Cometários